Jun 28, 2013

tensão social, marcas e bombas incendiárias

com o clima de tensão social há marcas que, voluntária ou involuntariamente, ganham destaque no meio das manifestações. É disso exemplo o recente caso da Fiat e da Johnnie Walker no Brasil (aconselho a leitura do artigo "Marcas que estão a “acordar” o Brasil" do Imagens de Marca aqui)

mas isto?! um kit desenvolvido por Manuel Urbanke e Maximilian Hoch composto por uma garrafa de Raki pode ser convertido em cocktail molotov durante os distúrbios (via).























os autores do projecto dizem que o objectivo é promover uma reflexão sobre a situação na Turquia... Eu, pessoalmente, não imaginonenhuma reflexão construtiva a sair de garrafas de álcool que se tranformam em bombas incendiárias... :) 

por muito agressivo ou irreverente que o posicionamento de uma marca seja, estará aqui um limite? que vos parece?

Jun 27, 2013

um frigorifico que só abre com passaporte Canadiano

o meu gosto pelas acções de activação é cada vez maior! são uma das melhores formas de as marcas interagirem com os clientes, e faze-lo de forma divertida, criativa, e com um efeito "wow" (1) que faz as pessoas querem partilhar, dar a conhecer, sorrir ;)

aqui está mais um bom exemplo: um frigorífico que só abre com passaporte Canadiano















é quando estamos fora do nosso pais que nos sentimos mais orgulhosos da nossa origem ;)  este sentimento foi o que levou a agência Rethink a construir para a marca de cerveja Molson um frigorífico cheio de garrafas de cerveja e a envia-lo para toda a Europa. A única maneira de abri-lo? Um passaporte Canadiano.

vejam o vídeo com o case da acção, a reação das pessoas é espetacular



(1) "wow effect: when you're surprised by something wonderful or really great, you get the "wow effect". Via.

Jun 25, 2013

quando a mensagem real está de cabeça para baixo

queria deixar-vos com este excelente exemplo, do que a "comunicação" tem de interessante! 

ja aqui falei sobre o princípios que "governam" os processos de comunicação (ver post "princípios da comunicação" aqui) e estou cada vez mais convencido que a mestria deles é parte fundamental do sucesso nesta profissão (e noutras claro...)

é verdade que isto também tem uma parte mais pessoal no meio! fiz parte, há alguns anos (muitos?!), da equipa responsável pela criação de uma linha de atendimento telefónico para apoio e prevenção do suicídio... era impossível não reagir a esta campanha

nesta acção impressa criada pela Publicis Singapura, para a organização para a prevenção do suicído Samaritans of Singapore, aparecem imagens de paredes com mensagens escritas / riscadas / grafitadas que, aparentemente, são extremamente positivas

mas na verdade... são ambigramas, palavras ou representações gráficas de uma palavra cujos elementos mantêm sentido mesmo quando vistos numa direção, perspectiva ou orientação diferente. Então,  a mensangem "Eu estou bem" transforma-se em "Salva-me", a mensagem "A vida é excelente" transforma-se em "Eu odeio-me" e, por últmo, a mensagem "Eu sinto-me muito bem" em "Eu estou caindo aos pedaços"






































 
esta campanha faz um excelente trabalho ao descrever visualmente a natureza subtil, muitas vezes escondida, dos sentimentos de tristeza e inflicidade de quem tenta o suicídio. Simples e, espero eu, eficaz em alertar todos para alguns dos "meandros" da comunicação. Excelente, não concordam?

Jun 21, 2013

um relógio embalado num saco cheio de água

a marca Alemã Festina está tão confiante dos seus relógios para mergulho e da sua resistência à água que está a vende-los dentro de um saco cheio de água!

desenhado pelo designer de Berlim Ralf Schroeder da Scholz & Friends, esta embalagem engenhosa não só comercializa o produto, com também demonstra o que ele pode fazer de uma forma simples, mas impressionante

composto por nada mais do que um saco transparente de água destilada, a embalagem é atraente e comprova a qualidade do relógio suspenso sem a necessidade de palavras. No ponto de venda funciona impecável!



















nas palavras do criador:
"apenas com o logotipo e o slogan da empresa, esta embalagem envia o controle de qualidade do produto diretamente para o ponto de venda e serve, ao mesmo tempo, como um selo de confiança. Ao serem submetidas a este ensaio visível de resistência, o relógio é capaz de convencer imediatamente os clientes de seu especial de alta qualidade"
que boa ideia não concordam?

Jun 20, 2013

um catálogo de aviões que também voa

a Embraer é o terceiro maior construtor mundial de aviões, mas lidera no segmento de aviões privados. Para lançar o seu mais recente e exclusico modelo, o Linage 1000, criou um inovador catálogo de apresentação deste modelo: o primeiro catálogo voador do mundo















graças a um íman colocado no seu interior, que o faz levitar em cima da sua base, este catálogo parece voar como que por magia, tendo surpreendido os potenciais clientes que o receberam como parte de uma campanha de marketing directo

vejam o vídeo com o case da acção



muito bom, não concordam?

Jun 18, 2013

IBM cria anúncios que são mobiliário urbano

os outdoors são um suporte de publicidade que proliferou de tal maneira que, muitas das vezes, não passa de poluição visual. Estive recentemente em São Paulo, no Brasil, onde simplesmente baniram todos os outdoors e limitaram a publicidade nas fachadas das próprias lojas

mas será que um outdoor pode ser um elemento integrado e útil para a cidade?

em conjunto com a Ogilvy de Paris, a IBM, para promover o projeto “People for Smarter Cities”, criou outdoors que são mais do que anúncios, são intervenções úteis para o dia-a-dia dos cidadãos. Um outdoor que é uma rampa sobre uma escada, um abrigo para a chuva, um banco de praça

este projeto é também um repositório de ideias enviadas por colaboradores, para melhorar a vida na cidade, seja em saúde, educação, transporte, segurança, entre outros. E não precisa de ser trabalhador da IBM para colaborar, qualquer um pode enviar a sua ideia



















vejam video com o case da acção



está estéticamente muito bem conseguido e passa claramente a mensagem de compromisso da marca: o produto ao serviço das pessoas, e não ao contrário. Que acharam?

Jun 17, 2013

Maslow e a Alice no País das maravilhas

pergunta: "afinal que necessidade a nossa marca preenche, se o nosso e o cliente só compra o produto quando está em promoção?"


















resposta: na verdade... não responde a necessidade específica nenhuma! e provavelmente o produto é, ou está a tornar-se, numa "comodity"
"The term commodity is ... used to describe a class of goods for which there is demand, but which is supplied without qualitative differentiation across a market." (via)
para conseguir sair do impasse caricaturizado em cima é preciso, antes de mais, conhecer e ter bem claro na nossa cabeça quais são os "atributos" do produto e que "benefício" esse produto dá ao cliente.

o que é um atributo?
"A product feature is an actual, physical property or function of the product. It is something about the product or inherent in the design that is beneficial, but is not, in and of itself, the benefit. I know this may sound confusing so let’s look at some examples: A feature of a product might be something like the fabric that it is made from. For example, your children’s clothing line might be made from durable denim or other fabric; or perhaps a sun-protectant SPF fabric. That is the actual material that it is made from – the feature of the product, the characteristic material that makes the product durable, protectant or otherwise good in some way; a cut above the rest so to speak. Think of product features as product characteristics or specifications. A feature is something you can find listed in a description, plan or design." (1)
o que é um benefício?
"A product’s benefit results from the feature. It is what is ‘in it’ for the customer. In fact, the product benefit answers that most crucial of questions consumers have – “What’s In It For Me?” In other words, that durability lends a benefit to the consumer in that the clothing will last longer, therefore they will need to replace the clothing less often and will save money and time in the long run. The benefit of the SPF factor is that it will prevent children from getting sun burnt or reduce the risk of skin cancer later in life. Think of a benefit as why a product is good. A benefit is something you would list in sales or marketing material, the reason why your customer should buy, not what they are buying." (1)
o que é que o cliente quer?
"Customers will sometimes look to see what the features of a product are for the sake of comparison, but by and large they care about one thing – that “What’s In It For Me?” Customers are most interested in the benefits because that is what is helpful and of most importance to them. It is important to offer key features in a product description where it can be accessed, but it is most important to let customers know how that feature helps them. Don’t rely on customers to understand features alone. Tell them the benefit of what buying your product or service will bring. Explain to them why your product or service is superior and beneficial, and give them the benefits – the reasons that they need to buy your product and features." (1)
idealmente nenhum produto ou serviço deve ser lançado no mercado sem estas respostas estarem bem presentes para todos os intervenientes (marketing, desenvolvimento de produto, operações, ...)! obviamente podemos não ter as respostas certas, mas uma resposta ou um caminho a seguir é, definitivamente, melhor que nehuma resposta ou nenhum caminho.

este tema lembra-me sempre o diálogo da Alice com o Cheshire Cat no livro "Alice no País das Maravilhas"
'Would you tell me, please, which way I ought to go from here?' 'That depends a good deal on where you want to get to,' said the Cat. 'I don't much care where —' said Alice. 'Then it doesn't matter which way you go,' said the Cat" (via)
não quero re-inventar a roda... só relembrar! até porque a ideia que tenho é que toda a gente sabe do que acabei de escrever... na maior parte das vezes o problema não está no que se sabe (ou não), mas sim naquilo que se acaba por fazer sobre a pressão da gestão do dia a dia... não concordam?

(1) Understanding The Difference Between Features And Benefits